Geral

Setúbal e Bocage

Bocage

Hoje é Dia de Bocage e de Setúbal. Hoje comemoram-se 250 anos do nascimento de Bocage. Comemorações que se anunciam com a ambição de dar um salto qualitativo em relação às anteriores que, com maior ou menor brilho com maior ou menor repercussão interna e externa, têm ficado confinadas a um período temporal. O programa anunciado das Comemorações dos 250 Anos quer ser o ponto de arranque para tornar a obra e a vida de Bocage um permanente objecto de estudo, de culto e de incentivo à prática da poesia como género literário maior.

Para isso acontecer há sempre que fazer confluir condições objectivas e subjectivas. Em Setúbal, pelo trabalho que o Poder Local, o executivo da Câmara Municipal de Setúbal e a sua presidente, tem realizado na última década, essas condições estão reunidas. Inscrevem-se numa política geral, numa visão estratégica para Setúbal, que era inexistente e se tem afirmado em todos os níveis de intervenção, que é vísivel mesmo para o residente ou o visitante mais distraído. São essas realidades , essas evidências que dão sentido e tornam viável que as Comemorações dos 250 anos do Nascimento de Bocage pensem e projectem o já referido salto qualitativo.

São duas as pedras angulares que estruturam essa ideia. Uma é a existência de uma Casa Bocage remodelada, refundada. Um equipamento cultural, com anos de vida e actividade, mas que se pode considerar novo, em linha com os equipamentos culturais que, nos últimos anos, têm transformada a vida e a oferta cultural de Setúbal, o que se alia a programações com rumo definido que traduzem a progressiva ambição de colocar Setúbal nos roteiros culturais de Portugal. O objectivo é tornar a Casa Bocage num centro de divulgação da vida e obra de Bocage, de investigação científica, de impulsionamento da prática poética a um nível de qualidade relevante, que inicie uma prática normal de acções que tenham a ver com Bocage, a sua época, com a universalidade da sua poesia e da linguagem poética.

A outra pedra angular é utilizar as Comemorações dos 250 Anos do Nascimento de Bocage como uma alavanca para internacionalizar o conhecimento e o estudo de Bocage, um dos maiores poetas portugueses.

Isto só é possível porque, há que repetir e sublinhar a traço muito grosso, Setúbal vive um momento histórico de viragem. De cidade e concelho que vivia de impulsos voluntaristas, uns melhores outros piores, é hoje uma ciadade e um concelho que olha para o futuro com uma visão global estratégica que está a virar do avesso, no seu sentido óptimo, a imagem da cidade e do concelho, a qualidade de vida da sua comunidade. Em paralelo e simultâneo a torná-la uma cidade e um concelho atractivos para visitantes e para o investimento.

O que é mais notável é essa transformação ser feita em contraciclo. Em tempo de crise económica e de valores que abalam Portugal. Setúbal, a cidade e o concelho, são um exemplo de como viver em plena crise, ultrapassando a crise. De como, não baixando os braços e olhando de frente, se trabalha para vencer a crise. A última década demonstra como é possível, com vontade e visão estratégica, transformar o território e a vida das pessoas, ultrapassando escolhos económico-financeiros. Poucas cidades e concelhos conseguiram/conseguem, num espaço de tempo histórico relativamente curto, um salto qualitativo tão grande. O que repita-se, enfatize-se, assinale-se foi e está a ser feito em tempo do que popularmente se chama de vacas magras.

A bússola do Poder Local em Setúbal tem um norte e uma rota bem definida. Dia a dia, com perseverança, os pés na terra e o olhar no futuro, Setúbal, a cidade e o concelho, caminham por esse mapa que se desdobra perante o olhar de todos. Que tem sido feito e se faz de pequenas e grandes iniciativas. As Comemorações dos 250 Anos de Bocage são um ponto, um marco nessa estrada de muitos outros pontos que marcam indelevelmente a paisagem sadina.

Uma cidade e um concelho que merecem algo que começa a fazer falta e que está para lá do que Poder Local tem meios para concretizar: um terminal para navios de cruzeiro. Setúbal, pelo trabalho que tem sido realizado na última década tem tudo para ser um destino turístico inda msia atractivo. Com a sua baía inscrita entre as baías mais belas do mundo, deve ser destino de cruzeiros. Assim deve acontecer se o Poder Central acertar o passo pelo passo do Poder Local em Setúbal.

Setúbal

Standard