Geral

As gravatas da Crista

Nos tempos que correm, a tomada de medidas gravosas para quem trabalha, como a que o Governo explicitou ontem de aplicar uma sobretaxa extraordinária aos subsídios de natal de milhares de portugueses (medida embrulhada num manto de “equidade social” que, se não fosse tão triste o que se está a passar, só serviria para rir), tem de ser acompanhada por pequenos disparos comunicacionais que mais não pretendem do que amortecer o impacto do que é anunciado.
O anúncio público, ridículo e desnecessário, de que o Ministério da Agricultura vai dispensar o uso de gravata, para poder baixar a temperatura dos gabinetes arrefecidos a ar condicionado a uns assombrosos 25 graus e reduzir a “pegada ecológica” daquela estrutura ministerial, é um desses disparos. Mais não se pretende do que dizer aos que vão sofrer as consequências da redução do subsídio de natal que também o Governo está a sofrer. Mais dois graus na temperatura. E até se tem pena dos engravatados.
Se não fosse trágico, seria ridículo… Como se fosse possível amortecer o impacto de um roubo institucional, um roubo de Estado a quem trabalha, aliás, os únicos que, como sempre, pagam a crise, com o anúncio de que se vai dispensar o pessoal da agricultura de usar gravata.
Má sorte, a dos portugueses…

Standard