Adolfo Mesquita Nunes, Assunção Cristas, CDS, Geral, Nuno Melo

O Ridículo não Mata!!!

assunção Cristas

Ninguém pára a Cristas! Nem ela nem outra gente CDS género Nuno Melo, Adolfo Mesquita Nunes etc., etc. Vender vigésimos premiados são a sua especialidade. Há quem compre e enquanto houver compradores eles desembestam sem detenças!!!

Agora a boss tira da manga a “carta de marinheiro no 12º ano” para que Portugal tenha “uma geração oceânica”. Um exaltante projecto educativo que já constava no programa do CDS. Devia pensar que estava a embarcar na nau das lutas fracturantes, coisa de que ouviu falar mas não sabe o que é.

Essa ideia destrambelhada lembrou-me uma cena de um filme do Artur Semedo em que ele actor na pele de administrador de um banco, saía do seu luzidio mercedes num parque de estacionamento. Havia um arrumador, um desses técnicos de motricidade urbana presentes por toda a Lisboa, que depois de ter ajudado a estacionar o carro lhe pedia uma espórtula, enquanto o motorista abria a porta ao Artur Semedo, carregando uma daquelas malas ditas de executivo.

O Artur Semedo, muito sério, interpelava o arrumador com um discurso grandiloquente.  Se ele se contentava a estar ali a arrumar carros, ele que pertencia a uma nação que tinha cruzado os mares, dando novos mundos ao mundo e mais umas quantas diatribes sobre as gloríolas de um país de navegadores. Disparava no fim que lhe ia dar um futuro condigno com a história de Portugal.

Plano seguinte: o arrumador, por cunha do administrador bancário, estava na doca de Pedrouços arrumar iates!!!

Não sabia Artur Semedo que o país iria ter uma Cristas. Devia-se rir a bom rir dessa idiota inteligente que se safa e tem eco na comunicação social estipendiada, porque a vigarice intelectual não está inscrita no Código Civil.

Anúncios
Standard

2 thoughts on “O Ridículo não Mata!!!

  1. Guilherme da Costa Ferreira diz:

    Temos de ser tolerantes.
    A mulher anda eufórica porque o 2º lugar em Lisboa já são favas contadas… Daí lhe sairem alguns disparates como o relatado e aquele de voltar a plantar árvores no Terreiro do Paço. Coitadas das arcadas do Terreiro… se calhar íam chorar… e os turistas e outros transeuntes também.

    Gostar

Comente aqui. Os comentários são moderados por opção dos editores do blogue.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s