Geral

Quando a máscara cai

Começo por vos pedir desculpas por partilhar convosco os vídeos de um candidato de plástico que surge nas margens do Sado como se fosse novidade, como se não representasse o passado de Setúbal, mas essa partilha é fundamental para se compreender a espécie em apreciação.

Porta-voz nacional do PS, pessoa da confiança de Seguro, dirigente da esquerda moderna que responde perante os principais fórum do poder, o candidato à Câmara Municipal de Setúbal surge, perante os setubalenses, com palavrinhas mansas e voz doce a dizer que não se candidata contra ninguém.

Depois, entre amigos, na Convenção Nacional Autárquica do PS, o candidato diz ao que vem, qual o ódio que o move, que interesses vem defender.

Setúbal pouco interessa, até porque de Setúbal, do concelho e da região, pouco ou nada sabe, mas Setúbal conhece bem o PS, aquele que se coligou com o PSD nos tempos do Mata Cáceres e agora na oposição à CDU, aquele PS que esteve na Câmara e a conduziu à bancarrota, aquele que esteve em sucessivos Governos (sozinho ou coligado com o PSD ou com o CDS) e o conduziu à bancarrota.

O candidato mente, é aldrabão e demagogo, mas nada disso interessa, está a cumprir com o que lhe foi pedido e, por isso, será recompensado num qualquer bom lugar longe de Setúbal.

Aqui está o PS, a esquerda moderna, entre sorrisos e aplausos a revelar a sua origem e objectivos, o combate ao PCP, o anti-comunismo como sentimento básico que une o Partido que se diz Socialista.

Standard

8 thoughts on “Quando a máscara cai

  1. Fernando diz:

    Chamar-lhe “um candidato de plástico que surge nas margens do Sado como se fosse novidade” deve ser para contrastar com Maria das Dores Meira, uma nada, criada e habitante desde sempre nesta bonita cidade do rio Azul…

    Gostar

    • Caro Fernando, a expressão a que se refere nada tem que ver com a questão de onde o candidato é ou deixa de ser. Em momento nenhum, relação nenhum candidato, nestas ou em quaisquer outras eleições, me viu ou verá utilizar esse tipo de argumentação que, para mim, é totalmente desprovida de sentido. Aquilo que digo e repito é que esse candidato surgiu apresentando-se como coisa nova, como tendo outra forma de fazer política e, no entanto, provou ser mais do mesmo, provou ser um candidato do passado, do PS trauliteiro que apenas tem um objectivo: combater o PCP – essa é a conclusão que se retira das afirmações do próprio.

      Gostar

  2. Luis Almeida diz:

    As coisas têm qualidades intrínsecas: a água é molhada, o íman atrai, o fogo arde e… o PS é assim ! De socialista tem tanto como eu de marciano…

    Gostar

Comente aqui. Os comentários são moderados por opção dos editores do blogue.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s