Costumes, Geral, Política

Faites vos Jeux…Democratiques

Image  Vai por aí um clamor bem pensante entrincheirado nos princípios democráticos que explica, por tudo o que é sítio,  que o exercício do direito à manifestação e indignação deve ser compatível com o respeito por figuras institucionais e ao seu direito à palavra.

Blalala a legitimidade e blalala os deveres e os direitos que a democracia impõe.

É gente bem pensante, confortavelmente instalada, chamada, a mais das vezes paga e bem paga, para perorar por tudo e por nada nos areópagos em que esta democracia espúria luta pela sobrevivência e que agora exprime, com graduações diferentes, a sua condenação às “grandoladas” em geral e em particular a que cercou Relvas que abandonou o palco sem poder debitar mais uma bula da venda da banha da cobra.

Essa mesma gente deve achar democraticamente legitimo que as figuras agora institucionais o sejam à conta de aldrabarem com o maior à vontade e descaro durante as campanhas eleitorais, numa caça ao voto onde vale tudo. Dirão, com inocência virginal, que isso é o jogo democrático. Também devem achar legítimo e até saudável que a comunicação social estipendiada puxe da carteira dos critérios jornalísticos para censurar as posições, as acções, as intervenções dos partidos que não se inscrevem naquilo a que, hipócrita e soezmente, chamam de arco do governo. Não os incomoda que os comentadores, em que eles se inscrevem ou almejam ser inscritos, que enxameiam os jornais, as rádios e as televisões sejam um coro, ainda que desafinado, que batuca para propagar o pensamento dominante. Assistem em silêncio mesmo ao guilhotinamento de alguns desses comentadores, alguns das suas áreas, quando se tornam excessivamente críticos para os padrões do conformismo que se quer garantir. Não se sobressaltam com a censura efectiva, real e palpável que, de forma directa ou indirecta, menoriza, hipótese mais favorável, ou cala, hipótese mais vulgar, tudo o que possa por em causa o estado de sítio democrático imposto pela rotatividade de mais do mesmo que há quase quarenta anos degrada o Estado a favor dos (uns quantos ) privados. Não lhe faz uma pequena cócega essa democracia ser cada vez mais papel de embrulho para uma expropriação dos direitos políticos, sociais e económicos da esmagadora maioria dos cidadãos. É a democracia em velocidade de cruzeiro, dirão essas virgens ofendidas pelo “ultraje” sofrido pelo feirante Relvas e pelos que andam a perseguir as excelsas figuras ministeriais.

A questão é outra. Essa gente anda a afiar a língua para mentir com todos os dentes que tem na boca para “comprarem” votos e se alcandorarem ao estatuto de figuras institucionais ou fazerem parte da corte. Para eles, o importante é que o jogo democrático continue mesmo que seja uma imensa mentira.

Como diz Kundera na sociedade actual “tudo é permitido porque tudo está cinicamente perdoado”

Advertisements
Standard

2 thoughts on “Faites vos Jeux…Democratiques

  1. José Carlos Mendes diz:

    MAA, desculpe, mas sinto a obrigação de pedir uma emenda: «Fais vos Jeux…Democratiques», o título, contém um erro que não devia ficar aí à vista.
    «Fais» é singular (faz); o plural é «faites».
    Não quero armar ao pingarelho, pelo contrário, peço desculpa por colocar a questão. Por razões de respeito pela língua – neste caso, o francês.

    Gostar

Comente aqui. Os comentários são moderados por opção dos editores do blogue.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s