Política, Setúbal

É preciso não ter um pingo de vergonha!

Os Deputados do PSD, eleitos pelo Distrito de Setúbal, nos tempos livres, enquanto não estão a elaborar ou aprovar legislação que produz miséria, que destrói serviços públicos, que acaba com direitos, que rouba salários e pensões, que mata a actividade económica, que nos afoga em impostos, que reduz o financiamento das autarquias ou põe em causa a sua autonomia e a sua dignidade democrática, dedicam-se à trafulhice política, apresentando-se como gente séria, preocupada com as economias locais e com as autarquias.

A última actividade de tempos livres que desenvolveram foi perguntarem às Câmaras Municipais da região qual o montante das suas dívidas e depois acusarem alguns Municípios de esconderem o valor das dívidas, como se pode ver na notícia.

Ora, estes indivíduos, como toda a gente sabe, são extremamente protectores das pequenas e médias empresas e estão muito preocupados, porque as autarquias não cumprindo os seus compromissos estão a impedir “as pequenas e médias empresas de subsistir em tempo de crise”. 

A carga fiscal e as obrigações tributárias que recaem sobre estas empresas, a diminuição do poder de compra dos portugueses, a liberalização do mercado dos combustíveis e energia, o aumento do IVA, a inexistência de crédito, a asfixia financeira imposta às autarquias locais por via de sucessivas reduções nas transferências do OE, é todo um conjunto de medidas que contaram com a criatividade, o empenho, a aprovação destes Deputados, mas aparentemente nada disso põe em causa a subsistência das empresas em tempo de crise, o que verdadeiramente as mata são atrasos nos pagamentos das autarquias.

Acrescendo a isto o facto de as contas das autarquias serem publicas e publicadas, aliás, mensalmente as dívidas são reportadas à Administração Central, através da Direcção Geral das Autarquias Locais, e compreende-se bem quais os objectivos dos distintos Srs. Deputados.

Autores de um dos maiores crimes da história deste País, colocam Portugal no caminho do desastre, do retrocesso, do empobrecimento, provocam a falência de empresas e famílias, geram desemprego e fome e depois têm a distinta lata de fazer conferências de imprensa a falar nos atrasos de pagamento das Câmaras Municipais, como se esse fosse o principal problema da Região.

Se tivessem um mínimo de honestidade intelectual e de vergonha, se estivessem realmente interessados nas finanças municipais e na subsistência das empresas em tempo de crise, podiam começar por votar contra a proposta de Orçamento do Estado para 2013 que agrava de forma significativa as dificuldades das micro, pequenas e médias empresas e continua a reduzir a participação dos Municípios nas receitas do Estado (designadamente através de um conjunto de retenções absurdas).

E depois, pediam desculpas pelo que andam a fazer e demitiam-se!

Advertisements
Standard

One thought on “É preciso não ter um pingo de vergonha!

  1. Olinda Peixoto diz:

    E essa gente,sabe lâ o que ê vergonha.Se tivessem um pingo de êtica,perante a vontade popular,jâ se teriam demitido,Ladrao que se preze,tem orgulho da profissao.

    Um beijo

    Gostar

Comente aqui. Os comentários são moderados por opção dos editores do blogue.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s