Política

O Imperador do Bananal Madeirense

A dívida na Madeira até agora conhecida, antes da auditoria que está a ser feita esteja terminada, é de € 1 700 000 000, quase dois mil milhões de euros. Situação inquietante, irregularidades graves, omissões incompreensíveis, as frases circulares dos entalados governantes.

O- mi-nis-tro-das-fi-nan-ças-tão-rá-pi-do-a-de-cre-tar-im-pos-tos-diz-que-a-si-tua-ção-na-ma-dei-ra-pa-re-ce-lhe-u-ma-si-tua-ção-de-cri-se-u-ma-si-tua-ção-gra-ve. Parece? Não é? Uma dívida per capita que não deve ter paralelo em qualquer parte do mundo, só lhe parece grave? Personagem tão rápida em graçolas provocatórias mostra-se como de facto é, não os tem para enfrentar o Bokassa do Atlântico Norte.

O Coelho diz que foi o governo madeirense que pediu a intervenção do governo central, o que revela a vontade do governo regional em resolver a situação que classifica de configurar uma grave omissão. Lá mais para a frente, adianta que compete aos madeirenses, nas próximas eleições regionais, apoiarem ou não o jardinismo e o PSD-Madeira. Um cinismo à prova de bomba atómica. Outro que não os tem, até está anunciado ir figurar ao lado de Jardim num dos últimos comícios da campanha eleitoral em curso. Deve ser para ajudar a esclarecer o povo da Madeira, dos erros graves, das incompreensíveis omissões do capataz da Madeira. Do que o futuro imediato lhes reserva devido aos desvairos, com destinatários certos, do seu correlegionário ilhéu. Anda a gozar com os “cubanos”, como nos chama Jardim! Não sabe que aquela dívida brutal sustenta um regime que ganha votos com prebendas? Não sabe que a democracia na Madeira é uma farsa? Não sabe que serão os “cubanos” a pagar os desmandos e a ditadura de fachada democrática da Madeira? Para quem anda a peregrinar pela Europa de joelhos, cerviz baixa e coluna invertebrada , apontando sonsamente o dedo Grécia, ter um Jardim à ilharga é uma nódoa negra no apregoado bom comportamento que nem toneladas de hirudoid removem e que nós vamos pagar com língua de palmo. Mais grave é toda a Europa assistir à teatrada da falta de coragem para enfrentar Jardim, o imperador do bananal  madeirense.

O circo PSD está montado para proteger o seu amado cacique É ver os dignatários, salvo seja, e os deputados PSD, a chutarem, com o pé que têm mais á mão, argumentos para embrulhar em papel de seda a baralhada das contas da Madeira, que só agora foram admitidas e mal pelo imperador das bananas. Visíveis já deviam ter sido, não foi por falta das muitas denúncias da oposição. Se agora o são é porque a situação se tornou insustentável e Jardim perceber que já não era possível esconder por muito mais tempo o que as manipulações  contabilísticas dissimulavam, que estava á beira de esgotar a sua capacidade de chantagear os governos centrais, como tem feito desde que chegou ao poder, pelo que tentou, num último assopro, o contra ataque.

À escala, a dívida da Grécia é uma brincadeira e ao povo grego tem sido impostos brutais sacrifícios que a comunicação social mascara numa retórica estafada, escondendo quem foram os principais beneficiários das cornucópias de dinheiro creditado pela banca internacional, sobretudo alemã e francesa, quem foram os países a quem a Grécia se endividou a comprar equipamento militar em quantidades inusitadas e qual o peso dessas compras na dívida grega, e outras coisas similares. Falar dos perigos de contágio da dívida grega, com a dívida da Madeira às costas é pouco sério.

Contra o Imperador das bananas em cuecas que quer ir para a cama com o grande capital, saudemos o Zorba, O Grego, que resiste às ofensivas desse mesmo capital.

Standard

2 thoughts on “O Imperador do Bananal Madeirense

  1. João Manuel Pinheiro diz:

    Nestes dias tão férteis de coelhismo e relvismo saltapara a frente o jardinismo do “bicho da Madeira” com as suas contas falsificadas que teremos de pagar.
    Mas há uma situação que importa assinalar: o “bicho da Madeira” e o olhinho maroto do do capachinho prometem vir à fala e, desse modo, talvez se crie alguma fricção na hostes malignas para benefício de todos. João Manuel Pinheiro

    Gostar

  2. Carlos Alberto SantosPinho diz:

    Cada vez mais é evidente o que estes governantes(com letra pequena) fizeram a este belo País. E ainda nos querem convencer que estes sacrifícios são necessários para voltarmos ao bom caminho…Oxalá que haja capacidade para perceber como é que vamos acabar se esta política prosseguir.

    Gostar

Comente aqui. Os comentários são moderados por opção dos editores do blogue.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s