Geral

A Ferrugem da Corrupção

Textura de Ferrugem foto de Luís Filipe Zeferino

O Ministério Público alemão acusa administradores e quadros superiores da Ferrostal de terem pago mais de 62 000 000 (sessenta e dois milhões de euros) em subornos para concretizar o negócio dos submarinos que vendidos à Grécia e a Portugal.

Será possível?

Que esse dinheiro tinha ido todo para a Grécia é o mais provável. Em Portugal não há corrupção. Nenhuma dessas negociatas seria possível acontecer. Isto é um país de gente séria e o ministro da Defesa que assinou os contratos de compra dos submarinos, Paulo Portas, nunca permitiria que tal viesse a acontecer.

Esses alemães são loucos! Em Portugal não há condenados por corrupção, nem por enriquecimento ilícito, porque não há corrupção, nem enriquecimento ilícito!

É tudo gente de dedicada ao trabalho e à causa pública, mesmo quando estão a trabalhar nos privados!

Nas varas e nas varetas nacionais não entra ferrugem!

As portas são todas transparentes!

Standard

2 thoughts on “A Ferrugem da Corrupção

  1. Carlos Alberto SantosPinho diz:

    E pensar que mesmo depois de todas estas notícias com origem daqui e também de lá, existem forças que conseguem bloquear qualquer tentativa de investigação! Chega a parecer inacreditável.

    Gostar

    • Luiz Moita diz:

      Até a Estela Barbot, assessora do FMI, disse na sua entrevista na TV que é escandaloso não existir Justiça em Portugal o que acarreta um custo muito elevado : rouba-se impunemente !

      Gostar

Comente aqui. Os comentários são moderados por opção dos editores do blogue.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s