Cultura

UM LIVRO, por vezes

A INUTILIDADE DAS BIOGRAFIAS

No Livro dos Salmos, o versículo 11 do Salmo 116 reza: Dizia na minha precipitação. Todos os homens são mentirosos. É aí que Alberto Manguel recolhe o título do seu livro publicado em 2008 e agora editado em português.

O dispositivo narrativo é conhecido. Foi explorado exaustivamente por Durrell no Quarteto de Alexandria. Sobre um mesmo acontecimento, um mesmo personagem, cruzam-se opiniões que se contradizem, corroboram, sobrepõem, reescrevem, num jogo semelhante ao de resolver o cubo de Rubik, sem nunca o acabar.

Um escritor argentino, Alejandro Bevilacqua, autor genial (será mesmo o autor?) de um só livro, O Elogio da Mentira, e de miseráveis telenovelas escritas para assegurar a sobrevivência, cai de uma varanda do seu apartamento madrileno. Suicídio? Assassinato? Queda acidental? Um jornalista francês, de ascendência espanhola, Jean-Luc Terradillos decide investigar esse acontecimento e escrever a biografia de Bevilacqua. Fala longamente com os seus próximos.

O primeiro a ser ouvido é um escritor também argentino, o próprio Alberto Manguel, que se apresenta como seu privilegiado confidente no exílio em Espanha, que compartilham depois de terem fugido à ditadura militar argentina. Joga na ambivalência de dizer “que o conheceu superficialmente por não o ter querido conhecer realmente”, o que não o inibe de desenvolver elaboradas teorias para explicar cada passo da vida de Bevilacqua.

O segundo é a amante espanhola de Bevilacqua que omeça por declarar que “Manguel é um imbecil, não sei o que te terá dito a ti, sobre Alejandro mas ponho as mãos no fogo, em com está tudo errado” (…) A mim é que deves ouvir, a mim a quem Alejandro contou a vida inteira: a verdadeira, a íntima, a escabrosa”. Conta como resgatou Bevilacqua da escrita simplória das telenovelas para a escrita maior de um romance genial. Trabalhos que empreendeu porque, para ela, nada é mais erótico que a fama literária.

O terceiro de quem se regista o depoimento é um cubano, ex-companheiro de cela de Bevilacqua numa prisão argentina, que acabaria por trocar a literatura por amor de uma mulher. Um drama que o seduz e em que Alejandro é marginal. Supostamente desapareceu pelo que deixou de existir. Reaparece em Madrid vai ao encontro de Bevilacqua no lançamento do livro de que também se diz autor, despoletando o drama que irá justificar a investigação de Terradillos. O último é um delator que já morreu e continua do além a denunciar todos e nenhum, acertando e desacertando  o que foi investigado, fazendo transitar as certezas adquiridas para o território das incertezas, assim como o caminho inverso.

Com todo o material recolhido, Terradillos deixa-se enredar e derrotar nesse labirinto de espelhos: um assassinato que não é um assassinato, uma morte acidental que também é decidida, um livro com muitos supostos autores. Desiste: “Decidi não escrever o retrato de Bevilacqua. Amante, herói, amigo, vítima, traidor, autor apócrifo, suicida acidental e tantas coisas mais: são muitas para um único homem” e em desespero “ Com o meu gesto de renúncia, é Alejandro Bevilacqua quem adquire corpo, voz, presença. Sou eu, o seu leitor, o seu esperançado cronista, eu, Jean-Luc Terradillos, quem desaparece.”

Leitura que produz imenso prazer expondo uma tese que muito agradaria a Borges: todas as biografias são projectos inúteis!

(texto publicado em Leituras, Guia de Eventos de Setúbal, Outubro 2010)

TODOS OS HOMENS SÃO MENTIROSOS

Alberto Manguel

Editora Leya/Editorial Teorema

Tradução: Umbelina Sousa

Revisão: Miguel Martins Rodrigues

Capa: Neusa Dias/Oficina do Livro

Edição: Abril 2010

Edição original 2008

192 páginas

Standard

Comente aqui. Os comentários são moderados por opção dos editores do blogue.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s