Geral

Leo Ferré – 3 / BAUDELAIRE

Hoje, um poema de Baudelaire, Spleen.
Spleen, palavra intraduzível em português, um sentimento de indefinível melancolia, que conduz a alma aos abismos onde pode acontecer o curto-circuito da pulsação que ilumina a vida.
Spleen, é um dos poemas das Flores do Mal, livro que é uma porta para a modernidade escrito por Baudelaire, o poeta “ que sabia (na sua época) qual era a real situação do homem de letras: um flaneur que se dirige ao mercado dizendo de si-mesmo que vai ver o que se passa mas na verdade já está á espera de comprador que trata com distância.” (W. Benjamin). Bem longe da situação pós-moderna que vivemos, em já não é a obra que conta, o que conta é a apresentação publicitária.
Leo Ferré, mais uma vez, com a inspiração só possível em quem saber ler o poema e saber ler música

.

Anúncios
Standard

Comente aqui. Os comentários são moderados por opção dos editores do blogue.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s